“Só tenho boas lembranças! Inesquecíveis momentos…”

claudia-shiota-01“Comecei estudar na Coopec no 1º ano de ensino médio, logo na fundação da escola, e por isso tive a oportunidade de participar de momentos muito importantes da escola como, por exemplo, a escolha do nome ‘Albert Sabin’. Eu vinha de uma escola pública de uma cidade pequena e, apesar de haver certa ‘tradição’ em encaminhar alunos para determinados colégios “famosos” visando o vestibular, meus pais apostaram na proposta diferenciada da Coopec. Foi a melhor escolha possível! A escola me proporcionou não apenas todas as condições de ingressar em uma boa universidade, mas também encontrei um ambiente familiar, aonde fiz grandes amizades, e com professores comprometidos com o ensino, mas ao mesmo tempo afetivos e acolhedores. Ao terminar o 3º ano fui aprovada nos vestibulares de Psicologia na UNESP e UFSCAR, assim como outros colegas da minha turma. Enfim, só tenho boas lembranças! Inesquecíveis momentos, como as aulas de inglês com a querida professora Regina, ficarão marcadas em minhas melhores lembranças pra sempre!”
Formação: graduação em Psicologia na Universidade Estadual Paulista (UNESP), pós-graduação em Terapia Cognitivo-comportamental e em Psicologia da Saúde pela Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP) e mestrado em Psicologia Clínica pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUCCamp).
Atualmente: psicóloga judiciária do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

25 Anos COOPEC!

Neste ano de 2017, a Coopec – Colégio Albert Sabin está completando 25 anos e quer saber… Por onde andam aqueles alunos que passaram pelas salas e corredores do Colégio durante essas duas décadas e meia de jornada? O que estão fazendo? No que estão trabalhando? Quais as histórias deste Colégio?
E você é um deles!
Por favor, pedimos que entre em contato pelo e-mail regina@coopec.com.br.
Envie uma foto junto com sua história para que possamos compartilhar vivências e agregar cada vez mais valor à história de nosso Colégio.

Agradecemos de antemão,

Equipe Coopec.

Carolina Komati leva consigo as memórias, os amigos e muito aprendizado da Coopec

Carolina KomatiCarolina Komati estudou na Coopec do 9º do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio e diz que, graças ao ensino humanizado e ao incentivo do olhar crítico, a escola contribuiu muito para sua formação intelectual e pessoal. Ainda cursando o segundo ano de Arquitetura e Urbanismo, na USP de São Carlos, Carolina relembra seus momentos na Coopec.

Veja o que a egressa tem para nos contar!

Minha época na Coopec foi memorável, pois conheci ótimas pessoas e fiz amizades verdadeiras e duradouras. Encontrar meus amigos todos os dias e assistir às aulas com professores queridos e competentes faziam a ida à escola um hábito natural e gostoso. O ambiente de cooperativismo e de aprendizado foi importante para que eu aprendesse a me relacionar melhor em conjunto e tentar compreender os fenômenos do mundo que me cerca.

 Logo quando entrei na Coopec, fui acolhida por uma turma muito receptiva. Meus colegas de sala tornaram-se grandes amigos e estamos até hoje muito próximos, pois nos encontramos frequentemente. Criamos até um grupo no ‘whatsapp’ com o nome “Coopecquianos” para matar a saudade! Também guardo grande apreço e admiração pelos meus antigos professores e fico muito feliz em reencontrá-los quando retorno a Rio Preto.

Liliam Carsava Merighe: “a escola era uma extensão da minha casa”

Liliam Carsava Merighe ingressou na Coopec em 1996, na pré-escola, permanecendo até 2008, quando se formou no Ensino Médio. Formada em Bacharel em Matemática pela UNESP/IBILCE, Liliam está concluindo o mestrado na USP, em São Carlos (SP), e pretende iniciar, no próximo ano,  seu doutorado, também na USP.

Confira o depoimento da egressa:

 Sempre gostei muito da Coopec. Foram 12 anos da minha vida e eu sentia que a escola era uma extensão da minha casa. Morava pertinho, então não saía de lá! Durante as férias, muitas vezes, gostava de passar em frente ao colégio para ‘matar a saudade’.

A Coopec sempre ofereceu diversas atividades extracurriculares, como os treinos de basquete, um esporte que até hoje tenho como hobby. Também adorava as Feiras do Livro e as Mostras do Conhecimento que a escola realizava, pois eram uma forma de unir e interagir todos os alunos.

Eu também tive grande participação na organização de Gincanas e Interclasses, junto com as minhas amigas de sala. E sempre gostei muito de participar de Olimpíadas de Matemática, tanto que, graças ao apoio dos professores, fui medalhista da Olimpíada da Matemática de Rio Preto no 1º e no 2º Colegial, com medalhas de prata e ouro, respectivamente.

 Hoje, sou formada em Matemática e, por isso, acredito que a Coopec tenha influência nesse rumo que tomei.

Eu gostava muito dos professores e de todos os funcionários e sempre fui muito bem tratada por todos! Eram como parte da minha família, já que passava mais tempo na escola do que em casa. Acredito que parte dos professores da minha época não está mais lá, mas que os princípios e as atividades realizadas continuam as mesmas. De vez em quando, ainda encontro alguns professores e mantenho bons contatos com eles, especialmente com os de matemática que participam de premiações das Olimpíadas.

Nágila Dinardi: “Foram 13 anos repletos de momentos especiais”

Nágila

foto: arquivo pessoal

Nágila Dinardi cresceu na Coopec: cursou desde a pré-escola até o 3º ano do Ensino Médio no colégio. Atualmente, formada em Ciências Biológicas, pela Unesp, a ex-aluna conta que aprendeu a gostar de biologia estudando na Coopec. Confira o depoimento da egressa:

Minha época na Coopec foi muito feliz! Frequentar a escola era uma alegria porque todos os meus amigos estavam lá e os professores e funcionários eram muito atenciosos. Por isso, sempre admirei a relação que podíamos ter com eles, todos sendo muito amigos e ajudando da melhor maneira possível. Até hoje tenho contato com meus amigos e professores da época de colégio.

Tive muitos momentos marcantes na Coopec e só tenho coisas positivas para falar! Afinal, foram 13 anos de momentos especiais em minha vida, com muita amizade e aprendizado. Tenho orgulho de fazer parte da família Coopec e sinto muitas saudades! Sempre que posso, faço uma visitinha e vou às festas juninas para reencontrar professores e funcionários.

Paulo Pjota: “Guardo a Coopec como parte da minha formação pessoal e intelectual”

S1601320_10152227545698304_2056176372_negundo Paulo Pjota, egresso da Coopec, estudou conosco “desde sempre”. Começou na pré-escola e ficou até o último ano do Ensino Médio fazendo parte e vivendo a Coopec. Hoje, com 26 anos, Paulo é formado em Artes Visuais pela Faculdade Belas Artes e está participando do prêmio PIPA (http://bit.ly/1l1FaZn), voltado para a consagração de artistas que já possuem destaque em seus trabalhos. Paulo conta como foi a sua passagem pela Coopec e o quanto esta instituição lhe é importante: “A minha passagem pela Coopec foi longa, pois tive o prazer de estar na primeira turma que se formou da pré-escola até o terceiro colegial. Nesse período, fiz amigos para a vida, tanto professores quantos meus companheiros de classe, além de ter me formado para o mundo não só para os estudos. Guardo a Coopec como parte da minha formação pessoal e intelectual e as experiências que tive me ajudaram a compreender a maneira que se dão as relações interpessoais dentro e fora do âmbito acadêmico”.

Matheus Bruschi Ferreira: “Na Coopec, aprendemos a ser bons cidadãos”

Matheus Bruschi FerreiraMatheus Bruschi Ferreira sempre estudou na Coopec e conta que a época da escola foi essencial para a sua formação. “Carrego os valores aprendidos na Coopec todos os dias. Foi lá que aprendi a ser um bom cidadão e a buscar seruma boa pessoa”.

Da época da escola, o egresso só tem boas recordações: “Gostava de escutar as piadas que o professor Plínio contava… Eram tão sem graças, mas a sala toda dava risada; já as histórias do professor Sandro eram difíceis de acreditar, pois era muito engraçadas; e o professor Elder (Mandioca) também brincava muito com a gente”.

A matéria preferida de Matheus sempre foi biologia, mas ele também gostava de fazer outras atividades na Coopec. “As nossas tardes eram sempre muito boas, porque ficávamos na escola tocando guitarra e jogando bola. Que época bacana!”.

Atualmente, o egresso é engenheiro agrônomo e mora em Ijuí no Rio Grande do Sul.

Hemily Marques Garcia: “A Coopec não era apenas uma escola, era uma grande família”

Hemily Marques Garcia ingressou na Coopec em 1997, quando cursava o 1º ano do Ensino Fundamental I e permaneceu até o 3º ano do Ensino Médio, em 2007. Lá, ela viveu ótimos momentos: “Estudar na Coopec foi um dos grandes privilégios da minha vida, pois não era apenas uma escola, ela era uma grande família. Nós, alunos, conhecíamos todos os funcionários pelo nome e eles sabiam o nome de cada um de nós”.

Dentre as melhores recordações, a ex-aluna relata particularidades de algumas disciplinas de que mais gostava: “Adorava as aulas de literatura do Prof. Valdemar, que ficava sentado na mesa declamando poemas lindos. Já o Prof. ‘Mandioca’, de física, adorava ‘pegar no meu pé’ fazia muitas brincadeiras durante as aulas experimentais no laboratório. As de química com o Prof. ‘Sandrão’ sempre tinham um ‘causo’ engraçado. Sem contar o Prof. Plínio, sempre com suas piadas”.

Por ter uma irmã que estuda na Coopec, Hemily frequenta até hoje os eventos da escola. “A Coopec já era excelente na minha época e está cada dia melhor. Está sempre antenada nas novidades de estudos e vestibulares, e mantém sua consciência e preocupação com as questões ambientais”.

Para não perder o contato com os colegas, a turma da egressa tenta se reunir todo ano em um churrasco. “Apesar de cada um estar em um lugar diferente e da dificuldade de encontrar uma data para que todos possam reunir, sempre que possível nos juntamos para relembrar nossas histórias e atualizar novidades da vida de cada um”.

Atualmente Hemily cursa o último ano de psicologia na UFMS (Universidade Federal do Mato Grosso do Sul) e acredita que está conquistando seus sonhos graças à base educacional adquiriu no colégio. “A Coopec me ensinou tudo o que está em meu histórico escolar, mas, muito mais do que isso, mostrou o significado da amizade, do respeito, do carinho e da solidariedade.”.

Gabriela Martucci Salles: “Eu sinto uma imensa saudade da escola”

Gabi Martucci SallesGabriela Martucci Salles ingressou na Coopec em 1996, quando estava no Pré I, e permaneceu até o Ensino Médio, em 2007. A egressa conta que estudar na Coopec foi uma época fantástica. “Hoje, olho as fotos da escola, dos colegas e sinto uma imensa saudade. Os amigos, funcionários e professores eram a nossa segunda família”.

Artes, Educação física, História, Geografia e Matemática eram suas matérias preferidas, além das aulas extracurriculares e dos eventos. “Sempre gostei de organizar e participar de todos os projetos da Coopec, como as mostras de conhecimento, os teatros e as festas juninas. Também fui representante dos alunos no Conselho de Pais e Mestres da escola e até organizei as atividades da gincana e do interclasse”.

Dentre os diferenciais que a escola oferece, Gabriela conta que o colégio sempre gostou do engajamento da Coopec com a comunidade. “A escola mantinha vivências das quais podíamos integrar nossa família. Nessa época nós vivíamos na escola e vivíamos a escola”.

Para matar a saudade dos amigos e professores do colégio, a ex-aluna sempre visita a Coopec. “Sempre que vou até o colégio sou muito bem recebida. Também revi a minha turma no ano passado durante uma reunião, e foi muito bom! Mantemos contato por meio das redes sociais”.

Após morar em Portugal e nos Estados Unidos, atualmente Gabriela cursa Engenharia de Produção e é professora em uma escola de idiomas, em Rio Preto, na qual é parceira da Coopec. “Como já dizia Cora Coralina ‘Felizes aqueles que ensinam o que aprendem e aprendem o que ensinam’. Essa frase remete à possibilidade que tenho hoje, que é a de dar aulas na Coopec”.

Jéssica: “Tenho um carinho mega especial pela Coopec”

Jjessicaéssica entrou na Coopec para fazer a primeira série do Ensino Fundamental, em 1991, e saiu do Colégio formada no Ensino Médio, em 2001. A família Coopec está na lembrança da Jéssica até hoje, pela época (uma das melhores da vida, né?), pelo clima gostoso entre alunos, professores, funcionários e também pelo ambiente, que ela recorda com saudade.

Ela conta que seus melhores amigos na época, a Fernanda Aragão, o Anderson Andrade, o Danilo Paranhos e a Natalia Dourado são amigos próximos até hoje, e serão para o resto da vida! E lembra-se com carinho dos professores Valmir, Waldemar, Maria Luiza e do Renan, professor de matemática, que era seu preferido! “Eu ouvia alguns amigos falando de outras escolas, e percebia que os professores e funcionários da Coopec eram diferentes. Levei para vida adulta a humildade que aprendi a ter na Coopec.”

Hoje, Jéssica mora em São Paulo, mas sempre que pode volta para visitar Rio Preto! Apaixonada pela Coopec, ela diz que o Colégio foi inesquecível para ela. “Tenho um carinho mega especial por essa escola, afinal de contas cresci lá dentro. Mas tem uma coisa que fez toda diferença para mim: quando eu tinha 14 anos, passei por alguns problemas familiares e saí da casa da minha mãe. Passei momentos muito difíceis nessa época, e a escola – em especial a Biane – me deram atenção, carinho e o suporte que eu jamais vou esquecer.”

Jéssica Ulliam Ferrari, egresso da Coopec – turma de 2001
Jéssica está no Facebook: https://www.facebook.com/jessicaulliam